4 Comentários

Sobre Publicar, é preço de se expor, sei que é duro, já que tem uma galera com foto do GOKU ofendendo todo mundo. Mas faz parte do jogo da modernidade, claro que é um jogo que ninguém é obrigado a jogar, mas a todo momento somos empurrados a ele.

Sobre isso recomendo ler o livro 24/7 [Jonathan Crary].

"Não se calar ao que te incomoda" deveria ser ensinado na escola, não que devemos viver em combate com tudo em volta, apenas precisamos dizer não para o que nos machuca e nos deixa para baixo.

Pera ai, você é de Leão. Signo do Mick Jagger.

O cara é a luz e magnetismo em Pessoa.

Vou indo, foi um prazer te ler e reler (te li as 3:45 e depois agora as 11:17)

Expand full comment
author

Anotada a sugestão de livro!

Realmente, a escola deveria se focar em conhecimentos REALMENTE úteis pra vida, tipo autorrespeito, autoexpressão, educação financeira, tarefas domésticas... mas infelizmente, o sistema só quer acumular decoreba. Quem sabe um dia, né?

hahahaha Mickk Jagger realmente é um representante ilustre dos leoninos. Bem lembrado!

Obrigada mais uma vez pelo apoio ao que eu escrevo! Espero ler mais coisas suas também.

Expand full comment
Mar 14, 2022Curtido por Luane Silvestre

Eu entendo esse frio na barriga perfeitamente. Não sei quanto a você, mas sinto que minha timidez ou mera adversidade à exposição pessoal, por mais existente, não é abrangente na internet, sabe? Eu não tenho muito receio de me expor por saber que poucas pessoas que me conhecem, se não ninguém mesmo, vai ler. Claro, até agora pelo menos, porque sempre usei nomes artísticos e pseudônimos, agora preciso encarar o botão de publicar muitas vezes. Se esse site não salvasse o que escrevemos haha, eu não teria conseguido.

Uh, colégio. Todos temos nossa cota de acontecimentos por lá, né? Eu diria, porém, que não fui tão afetado, mas entendo o quão ruim isso pode ser.

Sabe, se sentir sozinho ou único na internet é praticamente impossível (e isso não é sempre bom). Fico feliz que empatize com outros e isso te impulsione, afinal, é um ciclo sem fim nesse sentido.

Dar atenção para traumas me lembra de quando eu li "Oyasumi punpun" (recomendo, mas já está avisado que é pesado). Eu não tenho um bom hábito lidando com traumas. Sempre fui fã de 'exposição gera entendimento', pelo menos para eu mesmo, haha nunca estive tão errado, acho, foi invasivo e corroeu minha mente.

Achei interessante como pensa a respeito disso e lida com isso, você parece mais pacífica consigo, como se, com o tempo, foi refinando esse conceito. É sempre assim, né? Pelo menos acho, nunca temos a melhor ideia ou solução logo de início, não para um problema tão complexo quanto nós mesmos.

Expand full comment
author

Exaaaaaatamente! Parece que é muito mais difícil se "expor" para quem é conhecido, com o nosso nome, a nossa cara, a nossa história... porque aí o julgamento parecerá mais pessoal. O exercício pra escrita (e pra vida) talvez seja lembrar que toda opinião de alguém é sempre sobre a própria pessoa, e não o objeto observado.

Eu li esses dias que a solidão faz parte da existência e talvez seja isso mesmo... nada vai realmente preencher. E "tudo bem".

Obrigada por dividir um pouco de como você lida com isso! Eu sou zero pacífica, na verdade, mas são alguns anos de terapia aí tentando diminuir essa autocobrança...

Anotada a dica de livro!

Um abraço, e vamos juntos!

Expand full comment